27.3.11

Seeking out the memories I hold in

Chá com leite e mel, conversas jogadas fora na mesa de jantar, esmaltes espalhados, e eu, Cindy e Rachel rindo baixinho para não acordar o Baby Scott (bebê lindo da Cindy). Depois de um dia meio preguiçoso com direito à cinema no fim da tarde, aqui estamos, fazendo confissões e fofocando antes de ir dormir. O calor do chá está começando a me dar sono, e o barulho do vento batendo nas folhas secas do lado de fora me acalma.
Hoje eu estive pensando como é esquisito criar todos esses vínculos sabendo que talvez eu nunca mais veja essas pessoas, e que tudo está meio que numa corda bamba; por mais que eu queira me aproximar, eu não quero sentir falta. Mas eu já decidi. Vou aproveitar cada segundo, e não me importar como fim de tudo isso, eu vou fazer tudo o que eu tiver que fazer e não deixar nenhuma oportunidade escapar.
Eu percebi que eu já amo algumas pessoas aqui. Não só gosto, amo mesmo. E talvez elas permanecam na minha vida para sempre, mesmo que seja só na lembrança.
Já aprendi que tudo é efêmero e qualquer coisa um dia acaba se perdendo, desvanecendo sem que a gente perceba. Mesmo que eu me apegue, o tempo passa rápido, então não faz o menor sentido me preocupar.
Eu só quero passar por tudo isso e poder dizer no final "Foi bom em quanto durou" :)

Trilha sonora: Walnut Tree - Keane

Au revoir!

3 comentários:

sim, isso, o tempo... e tambem o que guardamos e o que descartamos. adoro reciclar e ai, tudo revive transformado, essa eh a danca!
Natural é as pessoas se encontrarem e se perderem, quando esses pensamentos te chatearem, lembre-se de que a felicidade não está apenas em relacionamentos humanos, ela está em qualquer situação que possamos viver, só precisamos mudar a nossa maneira de ver essas coisas, aproveite tudo, aproveite muito.
Boa sorte!
Alice, ameio os videos e também vou acompanhar o blog, não deixe de posta, vc se expressa muito bem... parabéns! *-*

Postar um comentário

votre avis